Translate

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Lições Mortais

Semana passada as dores aumentaram tanto, que eu comecei a sentir pena de mim mesma. Pensamentos pessimistas tomaram conta da minha mente e meu coração ficou tão apertado, tão deprimido. É, as vezes eu fico assim; é muito difícil, mas nessas horas eu só faço orar, pedindo forças para suportar bem. Quando eu era adolescente, eu ouvia muita música, era como conseguia relaxar. Hoje em dia a maioria das vezes que ouço música, me dá uma
tristeza, vontade de chorar, tanto que quase sempre prefiro deixar de ouvir.
Essa semana graças ao Pai Celestial, começou quase sem dor. Eu sei que é a resposta das minhas orações. Hoje de manhã quando estava estudando as escrituras, eu li uma pequena experiência do  Élder Robert D. Hales que me chamou muito a atenção.
Nesses nove anos que passaram, posso dizer que aprendi algumas lições que me ajudaram a ser uma pessoa melhor, mesmo tendo a noção do quanto ainda preciso melhorar.

Hoje dia 7 de fevereiro é o meu aniversário, estou completando 39 anos, lembrei do ano passado, que a Verônica, minha irmã, estava, foi num domingo, eu acho que já faz uns três meses que ela está viajando, sinto saudades. Domingo passado o Alexandre, meu esposo, foi chamado bispo. O Alexandre é um bom marido e pai, e sei que ele será um bom bispo.

Eis aqui a experiência que compartilho com vocês:

O Élder Robert D. Hales, do Quórum dos Doze Apóstolos, se referiu a sua experiência pessoal com os desafios físicos para explicar como a graça do Salvador pode tornar-nos fortes na fraqueza:

“Nos últimos dois anos, exerci fé no Senhor para que Ele me ensinasse lições mortais em períodos de dor física, angústia mental e meditação. Aprendi que as dores constantes e intensas são algo que nos consagra, purifica, torna humildes e aproxima do Espírito de Deus. Se ouvirmos e obedecermos, seremos guiados por Seu Espírito e faremos Sua vontade no cotidiano.

Houve momentos em que fiz algumas perguntas diretas em minhas orações, como: ‘Que lições Tu queres que eu aprenda com essas experiências?’

Ao estudar as escrituras nesse período crítico de minha vida, o véu tornou-se tênue e recebi respostas por meio do que já fora registrado na vida de pessoas que haviam passado por tribulações ainda mais cruciantes. (…)
Em algumas ocasiões, eu disse ao Senhor que eu certamente já aprendera as lições a serem ensinadas e que eu não precisava passar por mais sofrimentos. Essas súplicas parecem ter sido em vão, porque me foi mostrado com clareza que esse processo de purificação e testes deveria ser suportado no tempo do Senhor e à maneira Dele. Uma coisa é ensinar, ‘Faça-se a tua vontade’ (Mateus 26:42); outra coisa é viver o princípio. Também aprendi que eu não estaria só ao enfrentar essas provações e esses reveses, mas que anjos protetores me amparariam. (…)
As experiências dos dois últimos anos tornaram-me mais forte em espírito e me deram coragem para testificar com mais eloquência ao mundo sobre os profundos sentimentos de meu coração”

Um comentário:

  1. Muito bom, Cláudia. Vc é um exemplo de mulher virtuosa. Vc é a jóia preciosa de Deus

    ResponderExcluir