Translate

domingo, 12 de novembro de 2017

Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.

Tem um filme (já deu pra perceber que gosto de falar de filmes) que eu já assisti tem mais de um ano, é um filme estrangeiro, que talvez não seja muito popular. O nome é: Como eu  era antes de você. Em um acidente, ele fica tetraplégico, então tem algumas situações que acontece com o personagem que posso reconhecer em mim, já outras não. 
É um filme muito bonito, incluindo a trilha sonora; também é engraçado e no final um
pouco triste. Mas vale a pena assisti-lo. Eu gostei muito desse filme, gosto de filmes com uma história; seja verídica ou não, mas elas sempre nos ensinam alguma coisa. O xandre é que não gosta muito, quase sempre ele dorme, apesar que nesse filme, ele não dormiu. 
Esses últimos dias, eu não estou muito bem de saúde, tenho sentido umas dores de cabeça, corpo febril, amanhã vou no pronto socorro, só não vou hoje porque o xandre chegou de viajem muito cansado e eu não tive coragem de ir, vai que ele cochila!
Toda vez que cai de eu estar mal no domingo, eu faço um sacrificiozinho de ir a Igreja mesmo assim; porque me lembro de quando estava internada no hospital ainda lá no Adriano Jorge, teve um domingo que eu fiquei chorando baixinho e eu olhei para o Alexandre e disse, como eu gostaria de estar na Igreja e eu também lembro que naquele domingo era conferência geral.
Mas graças ao Senhor, depois daquele dia já assisti várias conferencias gerais.



sábado, 30 de setembro de 2017

Domingo Abençoado



Na Igreja no domingo passado 24-9-2017, foi a sacramental apresentada pelas crianças. Esse ano, como minha filha já tem 13 anos, ela não participa mais; mas tenho um sobrinho de 10 anos que ainda participa. Foi maravilhosa a sacramental, me veio na memória de quando a Rebeca todos os anos participava.

Hoje foi um dia em que eu senti o Espírito tocar o me coração. E não foi só na sacramental que me senti assim, nas aulas seguintes foi o mesmo sentimento, porquê dou aula no princípios do evangelho e a aula foi que As Famílias Podem Ser Eternas e na aula da sociedade de socorro, a minha sogra que deu aula e assim que entrei na sala, ela me deu uma gravura com algumas crianças estudando e pediu que eu falasse um pouco sobre, e assim eu compartilhei meu testemunho, duas vezes naquele domingo e o sentimento que estava sentindo só aumentou. Foi um dia do Senhor abençoado.  
Hoje, sábado, a conferência geral começou com o presidente Dieter F. Uchtdorf como o primeiro discusante, ele citou a minha escritura favorita Provérbios 3:5-6 Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento 6 Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas.
Essa escritura me ajuda até hoje. Não só essa escritura foi inspiradora, mas todo o seu discurso foi maravilhoso.

sábado, 5 de agosto de 2017

Saudades...




Quando li essa pequena história me emocionei muito, tendo ficado tanto tempo em hospitais, fiquei sabendo de histórias com crianças que me inspiraram. Inclusive ontem vendo o jornal daqui de Manaus; apareceu a reportagem de uma criança com uma doença rara que ainda não tem cura e o tratamento é muito caro. Essa doença também é muito difícil de suportar, eu sei disso porquê já havia visto um documentário sobre, e vi o sofrimento que elas suportam. O garotinho aqui de Manaus, mesmo todo enrolado em faixas num calor com a sensação térmica de quase 40gC, ele estava brincando e parecia feliz. Eu admiro muito a força com que as crianças suportam as provações, isso me dá mais forças para enfrentar as minhas


E quem nunca sentiu saudades? 💖💖

DEFINIÇÃO DE SAUDADE
Dr. Rogério Brandão Médico oncologista - Pernambuco
Como médico cancerologista, já calejado com longos 29 anos de atuação profissional (...) posso afirmar que cresci e modifiquei-me com os dramas vivenciados pelos meus pacientes.
Não conhecemos nossa verdadeira dimensão até que, pegos pela adversidade, descobrimos que somos capazes de ir muito mais além.
Recordo-me com emoção do Hospital do Câncer de Pernambuco, onde dei meus primeiros passos como profissional...
Comecei a frequentar a enfermaria e apaixonei-me pela onco-pediatria.
Vivenciei os dramas dos meus pacientes, crianças vítimas inocentes do câncer.
Com o nascimento da minha primeira filha, comecei a me acovardar ao ver o sofrimento das crianças.
Até o dia em que um anjo passou por mim!
Meu anjo veio na forma de uma criança já com 11 anos, calejada por dois longos anos de tratamentos diversos, manipulações, injeções e todos os desconfortos trazidos pelos programas de quimios e radioterapias.
Mas nunca vi o pequeno anjo fraquejar. Vi-a chorar muitas vezes; também vi medo em seus olhinhos, porém, isso é humano!
Um dia, cheguei ao hospital cedinho e encontrei meu anjo sozinha no quarto. Perguntei pela mãe. A resposta que recebi, ainda hoje, não consigo contar sem vivenciar profunda emoção:
— Tio, — disse-me ela — às vezes minha mãe sai do quarto para chorar escondido nos corredores...  Quando eu morrer, acho que ela vai ficar com muita saudade. Mas, eu não tenho medo de morrer, tio. Eu não nasci para esta vida!
Indaguei:
— E o que a morte representa para você, minha querida?
— Olha tio, quando somos pequenos, às vezes, vamos dormir na cama do nosso pai e, no outro dia, acordamos em nossa própria cama, não é?
(Lembrei das minhas filhas, na época crianças de 6 e 2 anos, e com elas, eu procedia exatamente assim).
— É isso mesmo.
— Um dia eu vou dormir e o meu Pai vem me buscar. Vou acordar na casa Dele, na minha vida verdadeira!
Fiquei "engasgado", não sabia o que dizer. Chocado com a maturidade com que o sofrimento acelerou a visão e a espiritualidade daquela criança.
— E minha mãe vai ficar com saudades — emendou ela.
Emocionado, contendo uma lágrima e um soluço, perguntei:
— E o que saudade significa para você, minha querida?
— Saudade é o amor que fica!
Hoje, aos 53 anos de idade, desafio qualquer um a dar uma definição melhor, mais direta e simples para a palavra saudade:

É O AMOR QUE FICA!