Translate

sábado, 5 de agosto de 2017

Saudades...




Quando li essa pequena história me emocionei muito, tendo ficado tanto tempo em hospitais, fiquei sabendo de histórias com crianças que me inspiraram. Inclusive ontem vendo o jornal daqui de Manaus; apareceu a reportagem de uma criança com uma doença rara que ainda não tem cura e o tratamento é muito caro. Essa doença também é muito difícil de suportar, eu sei disso porquê já havia visto um documentário sobre, e vi o sofrimento que elas suportam. O garotinho aqui de Manaus, mesmo todo enrolado em faixas num calor com a sensação térmica de quase 40gC, ele estava brincando e parecia feliz. Eu admiro muito a força com que as crianças suportam as provações, isso me dá mais forças para enfrentar as minhas


E quem nunca sentiu saudades? 💖💖

DEFINIÇÃO DE SAUDADE
Dr. Rogério Brandão Médico oncologista - Pernambuco
Como médico cancerologista, já calejado com longos 29 anos de atuação profissional (...) posso afirmar que cresci e modifiquei-me com os dramas vivenciados pelos meus pacientes.
Não conhecemos nossa verdadeira dimensão até que, pegos pela adversidade, descobrimos que somos capazes de ir muito mais além.
Recordo-me com emoção do Hospital do Câncer de Pernambuco, onde dei meus primeiros passos como profissional...
Comecei a frequentar a enfermaria e apaixonei-me pela onco-pediatria.
Vivenciei os dramas dos meus pacientes, crianças vítimas inocentes do câncer.
Com o nascimento da minha primeira filha, comecei a me acovardar ao ver o sofrimento das crianças.
Até o dia em que um anjo passou por mim!
Meu anjo veio na forma de uma criança já com 11 anos, calejada por dois longos anos de tratamentos diversos, manipulações, injeções e todos os desconfortos trazidos pelos programas de quimios e radioterapias.
Mas nunca vi o pequeno anjo fraquejar. Vi-a chorar muitas vezes; também vi medo em seus olhinhos, porém, isso é humano!
Um dia, cheguei ao hospital cedinho e encontrei meu anjo sozinha no quarto. Perguntei pela mãe. A resposta que recebi, ainda hoje, não consigo contar sem vivenciar profunda emoção:
— Tio, — disse-me ela — às vezes minha mãe sai do quarto para chorar escondido nos corredores...  Quando eu morrer, acho que ela vai ficar com muita saudade. Mas, eu não tenho medo de morrer, tio. Eu não nasci para esta vida!
Indaguei:
— E o que a morte representa para você, minha querida?
— Olha tio, quando somos pequenos, às vezes, vamos dormir na cama do nosso pai e, no outro dia, acordamos em nossa própria cama, não é?
(Lembrei das minhas filhas, na época crianças de 6 e 2 anos, e com elas, eu procedia exatamente assim).
— É isso mesmo.
— Um dia eu vou dormir e o meu Pai vem me buscar. Vou acordar na casa Dele, na minha vida verdadeira!
Fiquei "engasgado", não sabia o que dizer. Chocado com a maturidade com que o sofrimento acelerou a visão e a espiritualidade daquela criança.
— E minha mãe vai ficar com saudades — emendou ela.
Emocionado, contendo uma lágrima e um soluço, perguntei:
— E o que saudade significa para você, minha querida?
— Saudade é o amor que fica!
Hoje, aos 53 anos de idade, desafio qualquer um a dar uma definição melhor, mais direta e simples para a palavra saudade:

É O AMOR QUE FICA!               

        

segunda-feira, 26 de junho de 2017

When We're Together: Mark Harris

Há uns dias atrás, eu assisti o filme Corajosos, não lembro se pela segunda ou pela terceira vez. Somente nessa última vez, eu senti tocar fundo no meu coração a mensagem que ele nos ensina. Para cada pessoa ele pode ensinar alguma coisa, para mim, a cena mais tocante é a de quando o pai vai ao local onde a filhinha dele, ouvindo uma música no rádio do carro, sai para um local gramado e começa a dançar e chama o pai para dançar com ela. O pai por vergonha do que os outros vão pensar, acaba negando o pedido da filha.
Algum tempo depois, sofrendo com a perda da filha, ele volta ao mesmo local, coloca o cd que tem a música que a filha dele gostava e no mesmo gramado, fechando os olhos dá alguns passos e se imagina dançando com sua amada filha. Nessa hora, eu senti um nó na garganta e meus olhos ficaram cheio de lágrimas. Lembrei de uma mensagem do Élder Claudio R. M. Costa:  
Não Deixe para Amanhã o Que Pode Fazer Hoje
Em suas palavras:
Recentemente li um texto na Internet que expressa a urgência de não deixar para amanhã o que podemos fazer hoje. Em julho deste ano, o Brasil acompanhou o maior acidente aéreo de sua história. Cento e noventa e nove pessoas morreram, incluindo passageiros, trabalhadores, tripulação e outros que se encontravam no local. O texto que menciono agora foi colocado no mural da companhia aérea pelo esposo de uma das comissárias que morreram no acidente. Chama-se: “Se o Amanhã Nunca Vier” e se baseia em um poema de Norma Cornett Marek.

Se eu soubesse que essa seria a última vez que eu veria você dormir,
Eu aconchegaria você mais apertado, e rogaria ao Senhor que protegesse você.
Se eu soubesse que essa seria a última vez que veria você sair pela porta,
Eu abraçaria, beijaria você, e a chamaria de volta, para abraçar e beijar uma vez mais.
Se eu soubesse que essa seria a última vez que ouviria a sua voz em oração,
Eu filmaria cada gesto, cada olhar, cada sorriso, cada palavra sua,
Para que eu pudesse ver e ouvir de novo, dia após dia.
Se eu soubesse que essa seria a última vez,
Eu gastaria um minuto extra ou dois, para parar e dizer: “Eu te amo”
Em vez de assumir que você já sabe disso.
Se eu soubesse que essa seria a última vez, nosso último momento,
Eu estaria ao seu lado, partilhando do seu dia, junto de você, em vez de pensar:
“Tenho certeza de que outras oportunidades virão; posso deixar passar esse dia”.
É claro que haverá um amanhã para se fazer uma revisão,
E teríamos uma segunda chance para fazer as coisas da maneira correta.
Ah, é claro que haverá outro dia para dizermos: “Eu te amo”.
E, por certo, nova chance de dizer um para o outro: “Posso te ajudar em alguma coisa?”
Mas, no meu caso, não há!
Não tenho mais você aqui, e hoje é o nosso último dia — nossa despedida.
Então, eu gostaria de dizer o quanto eu amo você.
E espero que nunca se esqueça disso.
O dia de amanhã não está prometido para ninguém, jovem ou velho;
E hoje pode ser sua última chance de apertar a mão da pessoa que você ama e demonstrar tudo o que sente.
Se você está esperando pelo amanhã, por que não fazer hoje?
Pois, se o amanhã nunca vier, você, com certeza, se arrependerá pelo resto da vida.
Por não ter gasto aquele tempo extra num sorriso, numa conversa, num abraço, num beijo,
Porque estava ocupado demais para dar àquela pessoa o que acabou sendo o seu último desejo.
Então, abrace bem forte seu amado ou sua amada, seus amigos, sua família, hoje,
E sussurre no seu ouvido o quanto os ama e o quanto os quer junto de você.
Gaste tempo para dizer:
“Me desculpe”,
“Por favor”,
“Me perdoe”,
“Obrigado”,
Ou ainda:
“Não foi nada”,
“Está tudo bem”,
Porque, se o amanhã nunca vier, você não terá de se arrepender pelo dia de hoje.
Pois o passado não volta, e o futuro talvez não chegue!😢
 

domingo, 4 de junho de 2017

O Que Mais Importa


Às Vezes eu acordo e penso como será o meu dia hoje? Tem dias que é tranquilo, tem dias que é tenso, tem dias que eu deixo os meus pensamentos voarem livres nas asas da minha imaginação, pensamentos do tipo: como será daqui alguns anos? E fico preocupada, por mais que eu lute contra isso, é muito difícil e quando fico assim não consigo dormir direito, fico horas e horas acordada com pensamentos acelerado.
Mas, não quero dizer com isso que a minha vida é horrível, que só acontece coisas ruins comigo, tem os momentos bons. Por exemplo quando vejo a Rebeca obediente, vejo um bom filme com minha pequena família, escuto uma linda canção, quando passo algumas poucas horas sem dor, quando consigo ter uma noite tranquila de sono, quando preparo a aula do seminário, quando os jovens ficam mais reverentes e nós podemos sentir o Espirito Santo, quando o Xandre chega com um chocolate, quando estamos com saúde, quando ouço discursos cheio do Espírito.
Hoje foi a conferência da Estaca Rio Negro, a qual eu pertenço; todos os discursos foram maravilhosos. Do presidente da estaca, do presidente da missão Manaus e sua esposa sister Castro – (a irmã Castro sempre alegre, até as crianças gostam do discurso dela) e o Setenta de área Elder Campos; eu senti muito forte o Espírito em seu discurso. Então o Elder Campos citou algumas palavras de um dos discursos do Presidente Thomas S. Monson que eu mais gosto: Alegria na Jornada.

As maiores lições que devemos aprender nesta breve jornada na Terra, estão nas lições que nos ajudam a distinguir o que é importante daquilo que não é. Peço a vocês que não deixem as coisas mais importantes passarem por vocês, enquanto planejam um futuro ilusório e não existente, enquanto vocês têm todo o tempo do mundo para fazer o que quiserem. Em vez disso, procurem ter alegria na jornada — agora.

Se vocês têm filhos que já cresceram e se mudaram, provavelmente já sentiram ocasionalmente a dor da perda e o reconhecimento de que não deram o devido valor a essa fase de sua vida. Evidentemente, não há como voltar, apenas seguir em frente. Em vez de reviver o passado, devemos aproveitar ao máximo o presente, aqui e agora, fazendo tudo o que pudermos para garantir lembranças agradáveis no futuro.

Se ainda estão criando seus filhos, estejam cientes de que as marcas de dedinhos que quase sempre aparecem nas superfícies que acabaram de ser limpas, os brinquedos espalhados pela casa, as pilhas e pilhas de roupa suja para ser lavada, desaparecerão muito em breve e — para sua surpresa — vocês sentirão falta disso tudo, profundamente.

Jamais nos arrependeremos das palavras bondosas proferidas ou do afeto demonstrado. Em vez disso, vamos arrepender-nos, se omitirmos tais coisas em nosso relacionamento com aqueles que mais significam para nós.

Nunca permitam que um problema a ser resolvido se torne mais importante do que uma pessoa a ser amada. Os amigos se mudam, os filhos crescem e os entes queridos morrem. É muito fácil negligenciarmos as pessoas, até o momento em que elas saem da nossa vida e ficamos com o sentimento de que as coisas poderiam ter sido diferentes. A escritora Harriet Beecher Stowe disse: “As lágrimas mais amargas derramadas junto aos túmulos decorrem das palavras que não proferimos e das coisas que deixamos de fazer


Antes do acidente, eu tinha uma preocupação exagerada com a limpeza da casa, das coisas se tinha pueira ou não, não deixava ninguém entrar calçado dentro de casa, era muito chata em relação a essas coisas; hoje eu vejo as coisas um pouco mais diferente; ainda gosto da casa arrumada, cheiro de limpeza no ar; eu ensino para Rebeca que uma casa limpa é onde o Espírito Santo habita, ensino pra ver se desperta nela o desejo de pelo menos organizar a casa. Penso que se fosse como antes, eu iria viver nervosa e brigando, mas não quero isso. Eu não sei quanto tempo mais o Senhor ainda vai me dá e quero que ela tenha boas recordações minha e não de uma mãe estressada e briguenta