Translate

domingo, 4 de junho de 2017

O Que Mais Importa


Às Vezes eu acordo e penso como será o meu dia hoje? Tem dias que é tranquilo, tem dias que é tenso, tem dias que eu deixo os meus pensamentos voarem livres nas asas da minha imaginação, pensamentos do tipo: como será daqui alguns anos? E fico preocupada, por mais que eu lute contra isso, é muito difícil e quando fico assim não consigo dormir direito, fico horas e horas acordada com pensamentos acelerado.
Mas, não quero dizer com isso que a minha vida é horrível, que só acontece coisas ruins comigo, tem os momentos bons. Por exemplo quando vejo a Rebeca obediente, vejo um bom filme com minha pequena família, escuto uma linda canção, quando passo algumas poucas horas sem dor, quando consigo ter uma noite tranquila de sono, quando preparo a aula do seminário, quando os jovens ficam mais reverentes e nós podemos sentir o Espirito Santo, quando o Xandre chega com um chocolate, quando estamos com saúde, quando ouço discursos cheio do Espírito.
Hoje foi a conferência da Estaca Rio Negro, a qual eu pertenço; todos os discursos foram maravilhosos. Do presidente da estaca, do presidente da missão Manaus e sua esposa sister Castro – (a irmã Castro sempre alegre, até as crianças gostam do discurso dela) e o Setenta de área Elder Campos; eu senti muito forte o Espírito em seu discurso. Então o Elder Campos citou algumas palavras de um dos discursos do Presidente Thomas S. Monson que eu mais gosto: Alegria na Jornada.

As maiores lições que devemos aprender nesta breve jornada na Terra, estão nas lições que nos ajudam a distinguir o que é importante daquilo que não é. Peço a vocês que não deixem as coisas mais importantes passarem por vocês, enquanto planejam um futuro ilusório e não existente, enquanto vocês têm todo o tempo do mundo para fazer o que quiserem. Em vez disso, procurem ter alegria na jornada — agora.

Se vocês têm filhos que já cresceram e se mudaram, provavelmente já sentiram ocasionalmente a dor da perda e o reconhecimento de que não deram o devido valor a essa fase de sua vida. Evidentemente, não há como voltar, apenas seguir em frente. Em vez de reviver o passado, devemos aproveitar ao máximo o presente, aqui e agora, fazendo tudo o que pudermos para garantir lembranças agradáveis no futuro.

Se ainda estão criando seus filhos, estejam cientes de que as marcas de dedinhos que quase sempre aparecem nas superfícies que acabaram de ser limpas, os brinquedos espalhados pela casa, as pilhas e pilhas de roupa suja para ser lavada, desaparecerão muito em breve e — para sua surpresa — vocês sentirão falta disso tudo, profundamente.

Jamais nos arrependeremos das palavras bondosas proferidas ou do afeto demonstrado. Em vez disso, vamos arrepender-nos, se omitirmos tais coisas em nosso relacionamento com aqueles que mais significam para nós.

Nunca permitam que um problema a ser resolvido se torne mais importante do que uma pessoa a ser amada. Os amigos se mudam, os filhos crescem e os entes queridos morrem. É muito fácil negligenciarmos as pessoas, até o momento em que elas saem da nossa vida e ficamos com o sentimento de que as coisas poderiam ter sido diferentes. A escritora Harriet Beecher Stowe disse: “As lágrimas mais amargas derramadas junto aos túmulos decorrem das palavras que não proferimos e das coisas que deixamos de fazer


Antes do acidente, eu tinha uma preocupação exagerada com a limpeza da casa, das coisas se tinha pueira ou não, não deixava ninguém entrar calçado dentro de casa, era muito chata em relação a essas coisas; hoje eu vejo as coisas um pouco mais diferente; ainda gosto da casa arrumada, cheiro de limpeza no ar; eu ensino para Rebeca que uma casa limpa é onde o Espírito Santo habita, ensino pra ver se desperta nela o desejo de pelo menos organizar a casa. Penso que se fosse como antes, eu iria viver nervosa e brigando, mas não quero isso. Eu não sei quanto tempo mais o Senhor ainda vai me dá e quero que ela tenha boas recordações minha e não de uma mãe estressada e briguenta

Nenhum comentário:

Postar um comentário